Talking Heads

Publicado: 15/07/2007 em Rock, Rock Alternativo, Talking Heads

tk.jpg

Talking Heads é uma banda musical surgida em Nova Iorque (EUA), no dia 8 de Setembro de 1974, em meio ao movimentos punk e new wave. Liderada pelo guitarrista e vocalista David Byrne, a banda ganhou notoriedade por fundir o rock com inúmeros ritmos, inclusive os africanos.

O líder, guitarrista e vocalista do Talking Heads (David Byrne) nasceu em Dumbarton, Escócia, no dia 14 de Maio de 1952, e além do trabalho com o grupo, compôs trilhas para artistas como Twyla Tharp e Robert Wilson, nomes da dança e do drama respectivamente, além do filme “O Último Imperador” (de 1987, realizado por Bernardo Bertolucci) pelo qual ganhou um Oscar. Também dirigiu o filme “True Stories” (de 1986) e produziu diversos álbuns de música caribenha e brasileira (incluindo trabalho com Tom Zé e Margareth Menezes), notadamente “Rei Momo” (de 1989) e um vídeo documentário sobre o candomblé chamado “The House of Life” (também de 1989). O grupo Talking Heads existiu de 1977 até 1991. O Talking Heads fez a sua criação com a mistura do punk, rock, pop, funk, intelectualismo, e no final da carreira, com a world music.

O grupo foi formado em 1974 durante os estudos na “Rhode Island School of Design”. No início o grupo eram apenas David Byrne (vocal, guitarra) e Chris Frantz (bateria), que tocavam e compunham (entre as músicas da época, pode-se citar Psycho Killer e Warning Sign) sob o nome de “The Artistics”, jocosamente chamado de “The Autistics”. Em 1974, a namorada de Chris, Tina Weymouth (baixo) juntou-se a eles e então David mudou o nome da banda para Talking Heads.

A primeira grande apresentação da banda ocorreu no dia 8 de Junho de 1975, quando fizeram a abertura do show dos Ramones no lendário “CBGBs club”, em Nova Iorque. Em 1976 acrescentaram mais um membro, Jerry Harrison (guitarrista e tecladista), um ex-membro dos “The Modern Lovers” outra grande referência novaiorquina. Rapidamente o grupo se articulou e conseguiu fechar um contrato como a “Sire Records” (associada alemã da Warner Bros). De 1977 data o primeiro álbum, que foi “Talking Heads: 77” e já mostrava o rock e o punk misturados com sons experimentais. O álbum não deu sucesso imediato ao grupo.

Em 1978 chegou o segundo trabalho do grupo, “More Songs about Buildings and Food”, numa colaboração com o produtor ingles Brian Eno (conhecido pelo seu trabalho com os Roxy Music, David Bowie e Robert Fripp). Brian Eno se tornou uma espécie de “quinto elemento virtual” do grupo Talking Heads e passou a colaborar com novos estilos musicais. É dessa época a cover de Al Green “Take Me To The River”. Este álbum teve uma melhor recepção pela crítica, o que deu certo nome à banda.

As experiências musicais continuaram com o trabalho de 1979 “Fear Of Music”, cujo foco estava no flerte com o clima dark do pós-punk rock. A música “Life During Wartime” ficou muito famosa nesse momento.

A partir de 1980 o grupo Talking Heads passa a ter uma maior influência da world music. O trabalho “Once in a Lifetime” marca esse processo. Após lançar 4 CDs em 4 anos o Talking Heads fica 3 anos produzindo apenas 1, nesse ínterim lançam o trabalho ao vivo “The Name of This Band Is Talking Heads”.

Durante esse período, David Byrne lança dois trabalhos “solo”: “My Life in the Bush with Ghosts”, com Brian Eno; e a ‘trilha sonora’ da peça de balé “The Catherine Wheel”. Chris Frantz e Tina Weymouth, influenciados pelo Soul, Dance e Funk também formam um projeto alternativo, de nome “Tom Tom Club”, e lançam o primeiro álbum, que leva o nome da banda. Nessa época perdem o produtor Brian Eno, que passa a se dedicar a banda irlandesa U2. Em 1983 lançam o CD “Speaking in Tongues”, um trabalho mais comercial que gerou o seu primeiro grande sucesso no Top 10 americano (“Burning Down the House”). A turnê desse trabalho, intitulada “Stop Making Sense” e considerada uma das melhores da história do rock, foi a última da banda. O documentário desta tour foi filmado pelo então novato Jonathan Demme que anos depois ganharia o Oscar de melhor diretor por “O Silêncio dos Inocentes”. Em “Stop Making Sense” além de “Burning Down The House” temos uma poderosa versão para “PsychoKiller”.

Após o lançamento de 1982 outros 3 trabalhos foram criados: em 1985 “Little Creatures”, em 1986 “True Stories” e em 1988 “Naked”.”true Stories”, trilha sonora para um estranhissimo filme dirigido pelo proprio Byrne teve como hits “Radiohead” (que inclusive deu nome ao grupo ingles liderado por Thom Yorke) e a contagiante “Wild Wild Life”.

Com o passar do tempo, a banda cada vez mais passou a ficar em segundo plano, sob os pés do líder David Byrne. Após um espaço de 3 anos sem gravações e shows foi dada a “sentença definitiva”. No dia 2 de dezembro de 1991 David Byrne anunciou o fim do grupo Talking Heads durante uma entrevista no “Los Angeles Times”. David Byrne seguiu numa erratica carreira solo mas o grupo ate hoje eh uma referencia de rock experimental, pop e criativo influenciando bandas atuais como Arcade Fire, Killers e Clap Your Hands Say Yeah.

Membros

  • David Byrne – Voz, Guitarra, Violão
  • Chris Frantz – Bateria
  • Tina Weymouth – Baixo, Teclado
  • Jerry Harrison – Guitarra, Teclado

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s