Arquivo da categoria ‘Cantoras’

images2.jpg

Há se o o título ai de cima fosse atual?! Há que bom que pelo menos algumas pessoas viessem ao mundo e nunca nos deixasse. Uma delas seria sem dúvida Ella.

Eu só tinha 12 anos nos idos de 1971 e não pude assistir ao show, mas a deusa do Jazz esteve em terras tupiniquins e encantou a todos.

Cheek to Cheek

Publicado: 16/11/2007 em Cantoras, Jane Monheit, Jazz

images11.jpg

A jovem e talentosa Jane Monheit interpreta Cheek to Cheek com muita “sensualidade” e swing.

Jane Monheit

Publicado: 16/11/2007 em Cantoras, Jane Monheit, Jazz

 images11.jpg

Jane Monheit (Oakdale, Long Island, 3 de novembro de 1977) é uma cantora norte americana.

Pertencente a uma família musical, estudou clarinete e teoria enquanto atuava e cantava em produções teatrais locais. Ela tinha 17 anos quando começou formalmente seu treinamento vocal com Peter Eldridge, na Manhattan School of Music. Em 1998, com 20 anos, ficou em segundo lugar entre vocalistas na Thelonious Monk International Jazz Competition – diante de um júri composto por Dee Dee Bridgewater, Nnenna Freelon, Diana Krall, Dianne Reeves e Joe Williams.

Em 2000, Jane lançou seu primeiro álbum, Never Never Land. Estava acompanhada por notáveis, como o pianista Kenny Barron, o baixista Ron Carter e o saxofonista David “Fathead” Newman. Never Never Land ficou na Billboard Jazz chart por quase um ano, e foi votado o Best Debut Recording do ano por membros da Jazz Journalists Association.

A cantora lançou em 2007 um novo álbum, chamado Surrender, com forte influência da música brasileira.

Álbuns de estúdio

Ano Álbum
2000 Never Never Land  
2001 Come Dream with Me
2002 In the Sun  
2004 Taking a Chance on Love  
2005 The Season  
2007 Surrender  

Outros

Ano Álbum
2003 Live at the Rainbow (ao vivo)  
2005 The Very Best of Jane Monheit (coletânea)  

Diane Schuur

Publicado: 02/11/2007 em Cantoras, Diane Schuur, Jazz

schurr.jpg

Diane Schuur Nasceu em 10 de Dezembro de 1953 em  Tacoma, Washington, é uma cantora de JAzz e pianista.  É admirada por um grande número de jazzistas já faturou por duas vezes o Grammy. Diane Schuur é considerada uma verdadeira “contemporary jazz’s leading vocalists”. Schuur já dividiu o palco com nada mais nada menos que:

  • Stan Getz,
  • B.B. King,
  • Dizzy Gillespie,
  • Maynard Ferguson,
  • Ray Charles,
  • Stevie Wonder,
  • Quincy Jones.

Nina Simone

Publicado: 29/05/2007 em Cantoras, Jazz, Nina Simone

Nina SimoneNina Simone (Tryon, 21 de fevereiro de 1933 — Carry-le-Rouet, 21 de abril de 2003) foi uma grande pianista, cantora e compositora americana. O nome artístico foi adotado aos 20 anos, para que pudesse cantar Blues, a “música do diabo”, nos cabarés de Nova Iorque, Filadélfia e Atlantic City, escondida de seus pais, que eram pastores metodistas. “Nina” veio do Espanhol (Niña: menina), e “Simone” foi uma homenagem à grande atriz do cinema Francês Simone Signoret, sua preferida.

Nina Simone também se destacou e foi perseguida por ser negra e por abraçar publicamente todo tipo de combate ao racismo. Seu envolvimento era tal, que chegou inclusive a cantar no enterro do pacifista Martin Luther King. Casada com um policial nova-iorquino, Nina também sofreu com a violência do marido, que a espancava.

Em um breve contato com sua obra, aqueles que não conhecem percebem logo a diversidade de estilos pelos quais Nina Simone se aventurou, desde o gospel, passando pelo soul, blues, folk e jazz. Foi uma das primeiras artistas negras a ingressar na renomada Julliard School of Music, em Nova Iorque. Sua canção “Mississipi Goddamn” tornou-se um hino ativista da causa negra, e fala sobre o assassinato de quatro crianças negras numa igreja de Birmingham em 1963.

Nina esteve duas vezes no Brasil, e no último show (em 1997 no Metropolitan), foi lembrada como uma intérprete de raro ecletismo, capaz de entoar um hino anti-racista, como “Mississipi Goddamn” para logo em seguida “ressuscitar a platéia com “Here Comes the Sun”, dos Beatles. Era uma intérprete visceral, compositora inspirada e tocava piano com energia e perfeição.