Arquivo da categoria ‘Guitarristas’

HELTON RIBEIRO
Colaboração para Folha Online

cover-18-150x1401.jpg

O guitarrista ganhou fama da noite para o dia ao ingressar no Return to Forever com apenas 19 anos. O trio com John McLaughlin e Paco de Lucia também tornou-se lendário. Ele foi um dos mais velozes guitarristas do jazz fusion, mas depois passou a se dedicar também à world music, alternando a guitarra com o violão, que toca com a mesma destreza.

Filho de italianos, Meola nasceu em Jersey City, Nova Jersey, em 22 de julho de 1954. Desde criança, já freqüentava clubes de salsa, até descobrir o jazz com Chick Corea e Larry Coryell.

Em 74, o próprio Corea o convidou a entrar para o Return to Forever. Os solos velozes e enérgicos de Meola atraíram o público roqueiro, proporcionando ao grupo suas melhores vendagens, em discos como “Where Have I Known You Before” e “Romantic Warrior”.

Dois anos depois, ele iniciou carreira solo com “Land of the Midnight Sun”. Este e os subsequentes “Elegant Gypsy”, “Casino” e “Splendido Hotel” já traziam elementos de world music. Em 80, Meola gravou com John McLaughlin e Paco de Lucia “Friday Night in San Francisco”, que vendeu mais de dois milhões de cópias.

A partir dos anos 90, ele gravou com mais freqüência world music acústica, como “World Sinfonia” e “Di Meola Plays Piazzolla”. Em 96, formou o trio The Rite of Strings, com o violinista Jean-Luc Ponty e o baixista Stanley Clarke (outro ex-Return to Forever). Seu novo CD, “Diabolic Inventions and Seduction for Solo Guitar, Volume I”, tem lançamento previsto para o fim de outubro de 2007.

Contexto histórico

No final dos anos 60, o jazz era um gênero comercialmente inviável. Desde o surgimento do bebop, na década de 40, ele vinha perdendo popularidade e se convertendo em música de intelectuais, quase um segredo compartido entre poucos. Ao contrário dos anos 30, quando o swing jazz era a música popular da América, o rock passou a dominar as paradas.

Transformando o adversário em aliado, o jazz-rock fusion trouxe uma nova onda de sucesso ao gênero. Iniciado por Miles Davis, o movimento atingiu o auge comercial nos anos 70, com bandas como Weather Report, Mahavishnu Orchestra e Return to Forever, que vendiam milhões de discos.

E foi Al Di Meola, com sua guitarra faiscante, um dos principais propulsores desse sucesso. Finalmente os fãs de rock viam um jazzista tocando com a intensidade e a velocidade de um Jimi Hendrix. Com ele, o Return to Forever atingiu suas maiores vendagens de discos, disputando com bandas de rock na parada pop americana.

Curiosidades

 

  • O mais premiado Quem é o maior guitarrista do mundo? Para a revista “Guitar Player”, certamente é Al Di Meola. Ele é o músico que coleciona mais prêmios concedidos pela “bíblia” das seis cordas.
  • Meola & MoreiraO percussionista brasileiro Airto Moreira fez parte da banda Al Di Meola Project, em meados dos anos 80. No CD “Cielo e Terra”, cinco das dez faixas são em dueto entre os dois. Em “Soaring through a Dream”, do mesmo ano, Airto compôs metade das músicas em parceria com o líder, entre elas a faixa-título e “Capoeira”.
  • Mais BrasilO guitarrista fez turnê pelo Brasil em 2001. Ele homenageia o país na faixa-título de “Cosmopolitan Life”, de 2006, cuja letra tem trechos em português falando do samba. Mas o ritmo da música é cubano.
  • Pop jazzO CD “Winter Nights”, de 99, tem músicas de Peter Gabriel (“Mercy Street”) e Paul Simon (“Scarborough Fair”), em versões acústicas. Além de violões, o disco apresenta um instrumento de 48 cordas chamado bandura (executado pelo ucraniano Roman Hrynkiv).

Sites relacionados

 

  • www.aldimeola.com – o site oficial tem trechos para ouvir de todas as músicas de seus dois últimos CDs, e comentários do próprio músico sobre eles. E também, claro, biografia, discografia completa, galeria de fotos, agenda de shows, fórum dos fãs e chat.
  • www.scaruffi.com – o site italiano tem uma extensa biografia, que inclui comentários críticos sobre cada um de seus discos.
  • www.moo.pt/musica – o site português tem toda a discografia, com a vantagem de reproduzir as capas dos álbuns. Tem também áudio de várias músicas e trechos de vídeos.

A matéria acima foi publicada na Folha. Acesse aqui, leia o original e compre a coleção, é imperdível.
Acesse o Podcast do My Band’s clicando na imagem abaixo

images.jpg

O Mestre Jimmy Page

Publicado: 07/10/2007 em Elvis, Guitarristas, Jimmy Page

Não requer maiores apresentações

Se isso tivesse acontecido mesmo, teria sido espetacular!

Obrigado Alan (visitante do blog) por ter me lembrado do Yngwie Malmsteen.

joe.jpg

Joe Satriani (nasceu em 15 de julho de 1956 em Westbury, Nova Iorque, EUA) é um guitarrista de rock instrumental e professor, considerado virtuoso na guitarra.

Joe Satriani começou a tocar guitarra após a morte de Jimi Hendrix (pois até então tocava bateria). Satriani já foi professor de alguns guitarristas famosos tais como Steve Vai, Kirk Hammet do Metallica, David Bryson do Counting Crows, entre outros. Em 1984 Satriani grava um EP com o seu próprio nome contendo 5 músicas em que havia apenas guitarras. Steve Vai, seu amigo e ex-aluno, consegue para Joe um contrato com a Relativity Records, e na mesma época lança seu primeiro álbum: “Not Of this Earth”. A sua fama porém veio com o disco “Surfing with the Alien”. Álbum este que lhe rendeu milhões de vendas ao redor do mundo e sua primeira indicação ao Grammy. Em 1996, criou junto com Steve Vai a turnê G3, na qual participa todos os anos desde então ao lado de outros grandes guitarristas virtuosos. Joe conseguiu, num mundo dominado pelo pop, ser um dos guitarristas mais bem sucedidos no rock instrumental dos últimos tempos, vendendo milhões de álbuns, esgotando regularmente a lotação nos seus concertos e sendo o único artista a receber dois prêmios Grammy pela mesma música, “Summer Song”.

Jeff Beck

Publicado: 31/07/2007 em Guitarristas, Jazz, Jazz Rock, Jeff Beck

jef.jpg

Jeff Beck (Geofrey Arnold Beck, nascido em 24 de junho de 1944) é um guitarrista britânico que tocou em várias bandas influentes dos anos 60.

Assim como muitos músicos de sua época, Beck começou a trabalhar como guitarrista de sessão. Em 1965 ele entrou para o Yardbirds (depois que Eric Clapton deixou o grupo). Dezoito meses depois ele também sairia, principalmente por problemas de saúde. Beck passou os anos seguintes tentando obter algum sucesso com sua The Jeff Beck Band, embora os álbuns vendessem bem suas músicas não eram muito comerciais, só conseguiu reconhecimento com o grande público ao gravar em 1975 o álbum Blow by Blow em carreira solo.

Uma característica marcante de seu trabalho é o fato de ele não trabalhar sempre com o mesmo estilo musical,optando por uma fusão de estilos que vão desde o jazz ao rock and roll com um toque pessoal.

Recentemente uma rádio fez uma pesquisa mundial com uma série de críticos e Jeff Beck foi considerado o 4º maior e mais influente guitarrista do rock.

Ele continua esporadicamente a gravar e lançar seus discos.Em seus ultimos três discos ele fez um trabalho com música eletrônica mas não obteve grande sucesso.

Pat Metheny

Publicado: 31/07/2007 em Guitarristas, Jazz, Pat Metheny

pat.png

Patrick Metheny (Patrick Bruce Metheny) (Kansas City, Missouri, 12 de agosto de 1954) é um guitarrista de jazz norte-americano.

Iniciando com o trompete já aos 8 anos de idade, Metheny trocou para a guitarra ao 12 anos. Aos 15 anos, já estava trabalhando com os melhores músicos de jazz do Kansas, adquirindo experiência em bandas já muito jovem. Seu primeiro sucesso na cena internacional do jazz foi em 1974. Com o lançamento de seu primeiro álbum, Bright Size Life (1975), segundo a crítica, ele reinventara “o som tradicional da guitarra jazz” para uma nova geração de guitarristas. Durante sua carreira, continuou a redefinir o genero utilizando novas tecnologias e trabalhando constantemente para refinar sua capacidade sonora e de improvisação no seu instrumento.

Planejando sua carreira com sabedoria, trabalhou primeiro com uma gravadora de grande prestígio na música moderna (ECM), depois em uma gravadora de inclinações pop (Geffen) e finalmente com a multi-nacional (Warner Bros). Flertou com o jazz-rock, com grande sucesso, e chegou mesmo a ter videoclipes exibidos na rede MTV. Segundo os críticos Richard Cook e Brian Morton, “Metheny tornou-se uma figura-chave na música instrumental dos últimos 20 anos”.

Durante os anos, atuou com músicos tão diversos como Steve Reich, Ornette Coleman, Herbie Hancock, Jim Hall, Milton Nascimento e David Bowie. Formou uma parceria de composição com o tecladista Lyle Mays por mais de vinte anos – uma parceria que foi comparada às de Lennon/McCartney e de Ellington/Strayhorn por críticos e por ouvintes igualmente. O trabalho de Metheny inclui composições para guitarra solo, instrumentos elétricos e acústicos, grandes orquestras, e peças para ballet, com passagens que variam do jazz moderno ao rock e ao clássico.

Metheny atuou também na área academica como professor de música. Aos 18, foi o professor mais novo de sempre na universidade de Miami. Aos 19, transformou-se no professor mais novo de sempre na faculdade de Berklee de música, onde recebeu também o título de doutor honorário vinte anos mais tarde (1996). Ensinou também em workshops de música em várias partes do mundo, desde o Dutch Royal Conservatory ao Thelonius Monk Institute of Jazz. Foi também um dos pioneiros da música eletrônica, e foi um dos primeiros músicos do jazz que tratou o sintetizador seriamente. Anos antes da invenção da tecnologia de MIDI, Metheny usava o Synclavier como uma ferramenta de composição . Também tem participação no desenvolvimento de diversos novos tipos de guitarras tais como a guitarra acústica soprano, a guitarra de 42-cordas Pikasso, a guitarra de jazz Ibanez Pm-100, e uma variedade de outros instrumentos feitos sob encomenda.

Metheny é um músico que estuda e escreve muito, está aberto a inúmeras influências, e principalmente toca e grava muito. Nesse processo, atira em várias direções, e é inegável que acaba produzindo alguns trabalhos de caráter mais comercial, ainda que agradáveis e perfeitamente bem executadas.

Durante anos, Metheny ganhou vários concursos como o “melhor guitarrista de jazz” e prêmios, incluindo discos de ouro para os álbuns Still Life (Talking), Letter from Home e Secret Story. Ganhou também quinze prêmios Grammy Awards sobre uma variedade de categorias diferentes incluindo “Best Rock Instrumental”, “Best Contemporary Jazz Recording”, “Best Jazz Instrumental Solo”, “Best Instrumental Composition”. O Pat Metheny Group ganhou sete Grammies consecutivos em sete álbums consecutivos.

Metheny dedica-se a maior parte de sua vida em turnes e viagens, e calcula uma média entre 120 à 240 viagens por ano desde 1974. Continua a ser uma das estrelas mais brilhantes da comunidade do jazz, dedicando tempo aos seus próprios projetos, a novos músicos e aos veteranos, ajudando-lhes a alcançar suas audiências tão como realizar suas próprias visões artísticas.

Jonathan Butler

Publicado: 30/07/2007 em Guitarristas, Smooth Jazz

Jonathan Butler, nascido em 1961 em Caple Town, Africa do Sul. Cantor, escritor e guitarrista de R&B, Smooth Jazz e Jazz Fusion.