Arquivo da categoria ‘Soul’

Gnarls Barkley

Publicado: 14/07/2007 em Dance, Gnarls Barkley, Soul

 gr.jpg

Gnarls Barkley é uma colaboração entre o DJ de Baltimore e produtor Danger Mouse e o cantor e rapper de Atlanta e que agora reside em Baltimore Cee-Lo. O seu primeiro álbum, St. Elsewhere, foi lançado pela Warner Music Group a 24 de Abril de 2006 no Reino Unido e a 9 de Maio de 2006 nos Estados Unidos da América pela Atlantic Records e pela Downtown Records. Foi disponibilizado para download uma semana antes no iTunes e em outras lojas de música digital.

Os Gnarls Barkley têm ganhado muita popularidade, em grande parte devido à sua propensão em aparecerem com fatos peculiares em aparições públicas ou em sessões fotográficas. Actuaram nos MTV Movie Awards de 2006 vestidos com os fatos de Star Wars, com Cee-Lo a cantar como um Darth Vader sem máscara. Nessa cerimónia actuaram também Christina Aguilera, AFI e Wolfmother, a 8 de Junho de 2006.

O nome da banda, Gnarls Barkley, é muitas vezes associado ao jogador de basquetebol da NBA Charles Barkley, mas na edição de 18 de Junho de 2006 da revista do The New York Times, Danger Mouse explicou que o nome veio de amigos, juntando nomes de celebridades ficcionais como Prince Gnarls e Bob Gnarley. Quando alguém surgiu com a ideia de Gnarls Barkley, Danger Mouse anotou o nome de imediato e assim ficou.

Crazy foi o primeiro single de sempre a ficar na primeira posição do Top de Singles do Reino Unido, baseado somente em downloads digitais, logo que foi lançado online, dado que foi lançado em lojas de música digital online uma semana antes de ser lançado como CD Single. Representou também o primeiro single a permanecer nove semanas consecutivas no Top de Singles do Reino Unido desde 1994 e o que esteve mais tempo em número um no Top Oficial de Downloads do Reino Unido, permanecendo nessa posição durante onze semanas consecutivas.

Anúncios

James Brown

Publicado: 06/05/2007 em James Brown, R&B, Soul

James BrownJames Joseph Brown Jr., ou simplesmente James Brown, (Barnwell, Carolina do Sul, 3 de Maio de 1933 — Atlanta, Geórgia, 25 de Dezembro de 2006) foi um cantor, compositor e produtor musical norte-americano reconhecido como uma das figuras mais influentes do século XX na música.

Nascido na Carolina do Sul, foi um prolífico letrista e produtor musical, foi o principal impulsionador da evolução do gospel e do rhythm and blues para o soul e o funk, sendo a invenção deste último gênero creditada a ele. Também deixou sua marca em outros gêneros musicais, incluindo rock, jazz, reggae, disco, no hip-hop e na música dançante e eletrônica em geral.

Foi abandonado aos 4 anos por seus pais e deixado aos cuidados de parentes e amigos. Cresceu nas ruas de Augusta (Geórgia), onde cantava e dançava para pagar por sua vaga no quarto de um bordel.

Aos 16 anos, passou três anos em um reformatório por roubar carros.

Durante os anos 60, lançou canções tais como “Papa’s Got a Brand New Bag”, “I Got You (I Feel Good)”, “Get Up (I Feel Like Being a Sex Machine)” e “I’m Black and I’m Proud”.

Em 1988, foi condenado a seis anos por posse de drogas e armas.

Sua carreira de músico profissional iniciou-se em 1953, atingindo a fama no fim da década de 1950 e início da década de 1960, graças à força de suas performances ao vivo e a uma seqüência de grandes sucessos. Apesar de numerosos problemas pessoais e alguns insucessos, ele continuou a produzir sucessos nas duas décadas seguintes. Nas décadas de 1960 e 1970, Brown era uma presença em assuntos políticos norte-americanos, especialmente no ativismo em favor dos negros e dos pobres.

James Brown morreu aos 73 anos em 25 de dezembro de 2006, em Atlanta, Geógia, EUA, após internação devido a severa pneumonia.

Ray Charles

Publicado: 05/05/2007 em Jazz, Ray Charles, Soul

Ray CharlesRay Charles (Albany, 23 de Setembro de 1930 — Los Angeles, 11 de Junho de 2004) foi um pianista pioneiro e cantor de música soul que ajudou a definir o seu formato ainda no fim dos anos 50, além de um inovador interpréte de R&B. Seu nome de nascimento era Raymond Charles Robinson, mas ele encurtou-o quando entrou na indústria do entretenimento para evitar confusão com o famoso boxeador Sugar Ray Robinson. Considerado um dos maiores gênios da música negra americana, Ray Charles também foi um dos responsáveis pela introdução de ritmo gospel nas músicas de R&B.

Cego aos sete anos de idade em razão de um glaucoma e órfão na adolescência, Ray Charles iniciou sua carreira tocando piano e cantando em grupos de gospel, no final dos anos 40. A princípio influenciado por Nat King Cole, trocou o gospel por baladas profanas e, após assinar com a Atlantic Records em 1952, enveredou pelo R & B. Quando o rock & roll estourou com Elvis Presley em 1955, e cantores negros como Chuck Berry e Little Richard foram promovidos, Ray Charles aproveitou o espaço aberto na mídia e lançou sucessos como “I got woman” (gravada depois por Elvis), “Talkin about you“, “What I’d say“, “Hit The Road Jack”, “Little girl of mine“, entre outros, reunindo elementos de R & B e gospel nas músicas de uma forma que abriram caminho para a soul music dos anos 60, e tornando-o um astro reverenciado do pop negro.

Ray Charles ensaiando para o Grammy de 1990.

Ray Charles ensaiando para o Grammy de 1990.

A partir de então, embora sempre ligado ao soul, não se ateve a nenhum gênero musical negro específico: flertou com o jazz, gravou baladas românticas chorosas e standards da canção americana. Entre seus sucessos históricos desta fase estão canções como “Unchain my heart“, “Ruby“, “Cry me a river“, “Georgia on my mind” e baladas country tais como “Sweet memories“, e seu maior sucesso comercial, “I can’t stop loving you“, de 1962. Apesar de problemas com drogas que lhe prejudicaram a carreira, as interpretações de Ray Charles sempre foram apreciadas, não importando as músicas que cantasse. Uma “aura” de genialidade reconhecida acompanhou-o até o fim da vida e mais do que nos últimos álbuns que gravou, era nas suas apresentações ao vivo que o seu talento único podia ser apreciado.

Um notório mulherengo, Ray Charles casou-se duas vezes e foi pai de doze crianças com sete diferentes mulheres. Sua primeira esposa foi Eileen Williams (casado em 1951, divorciado em 1952) deu-lhe um filho. Outros três filhos são de seu segundo casamento, em 1955, com Della Beatrice Howard (divorciaram-se em 1977).

Prince

Publicado: 30/03/2007 em Funk, Hip-Hop, Prince, R&B, Soul

PrincePrince Rogers Nelson nasceu em 7 de junho de 1958 em Minneapolis, Minnesota, EUA. É um talentoso multiinstrumentista, músico e dançarino. Sua música mescla diversos gêneros musicais como funk, R&B, soul, new wave, jazz, rock, pop e hip hop.

Prince tem a habilidade de juntar elementos de todos estes estilos musicais fazendo uso de sintetizadores e baterias eletrônicas desde o início de sua carreira no fim dos anos 1970, tornando conhecido o som de Minneapolis, que influencia muitos artistas até hoje.

Prince tem a reputação de ser um workaholic, seja trabalhando em suas músicas ou produzindo outros artistas até o ponto de deixar muito material inédito na gaveta. Considerado um perfeccionista, Prince tem a imagem de uma pessoa difícil de se trabalhar e por ser altamente protetor de sua música. Escreve, compõe e produz todas as suas músicas. Também toca todos os instrumentos em seus álbuns. Muitos críticos elogiam seu trabalho por sua versatilidade em compor, tocar, cantar e dançar, fazendo de sua performance em palco algo extraordinário.

Prince Rogers Nelson é filho de John L. Nelson e Mattie Shaw. Seu pai tocou em um trio de jazz chamado Prince Rogers Trio, daí a inspiração para seu nome. Em uma entrevista à revista Rolling Stone em 1985, Prince declarou que seu pai é descendente de afro-americanos e sua mãe é branca, mistura de várias etnias. Após o nascimento de sua irmã, Tika Evene em 1960, os pais de Prince foram se distanciando até se separarem. Sua mãe se casou novamente mas a convivência com seu padastro não era boa, o que o fez morar momentaneamente com seu pai, que lhe comprou a primeira guitarra. Nesse tempo, Prince fez amizade com uma família vizinha, os Andersons, especificamente com o filho deles, Andre Anderson. Prince e Andre se juntaram ao primo de Prince, Charles Smith e formaram uma banda chamada Grand Central. Prince se encarregou da parte instrumental da banda, tocando em pequenos clubes de Minneapolis. O conhecimento musical de Prince foi se desenvolvendo e logo ele se tornou o principal membro da banda e também o vocalista. Era então influenciado por James Brown, Jimi Hendrix e Sly and Family Stone.

Em 1976, Prince começa a trabalhar como aprendiz no estúdio de Chris Moon, que o apresenta a Owen Husney. Husney percebe o potencial de Prince e investe em sua carreira junto com Pepe Willie. O primeiro álbum de Prince sai pela Warner Bros. em 1978 e chama-se For You. Todas as músicas deste álbum foram escritas e executadas por Prince, exceto Soft and Wet. O álbum teve vendagem modesta, não entrando nem entre as 200 da Bilboard, sendo Soft and Wet o único hit que até foi bem executado nas paradas R&B.

Em 1979, Prince organizou sua banda com Andre Cymone (nome artistico de Andre Anderson) no baixo, Gayle Chapman e Matt Fink nos teclados, Bobby Z na bateria e Dez Dickerson na guitarra. Prince propositalmente formou uma banda multi racial, misturando brancos e negros como uma banda que o influenciou muito, Sly and Family Stone. Seu segundo álbum, entitulado ” Prince” entrou no Bilboard 200 e teve dois hits, Why You Wanna Treat Me So Bad ? e I Wanna Be Your Lover.

Estes dois hits foram tocados ao vivo em 26 de Janeiro de 1980 na tv no programa American Banstand. Prince chamou a atenção pelas suas roupas coloridas, que vestiam seu 1,60 de altura, turbinados pelas botas de salto alto. Quando questionado pela imprensa a respeito de seu figurino, ele declarou que se sentia bem com seu visual. Em seus primeiros anos Prince se vestia provocantemente. Esta ostentação e o fato de se expressar sexualmente no palco e nas letras de suas músicas fizeram o público questionar sua orientação sexual. Isto lhe trouxe problemas como na ocasião em que abriu os shows dos Rolling Stones em Los Angeles no Los Angeles Coliseum em 1981, quando a platéia atirou lixo nele quando vestia um casaco e cueca, sendo vaiado até sair do palco. Em 1980, Prince lança Dirty Mind, seu terceiro álbum. Na banda, Lisa Coleman substitui Chapman, que sai após seus principios religiosos falarem mais alto em protesto às letras de teor sexual de Prince. Dirty Mind é notavelmente conhecido por seu conteúdo sexualmente explícito. Prince abriu os shows para Rick James em 1980 sob o rótulo de “punk funk” aplicado a ambos.

Controversy é lançado em 1981, com o single de mesmo nome entrando pela primeira vez nas paradas internacionais em fevereiro de 1981. Prince simultaneamente à sua carreira, também produz o álbum da banda The Time de Morris Day, colaborando com Vanity, Apollonia e Sheila E. Escreveu hits para artistas como Sheena Easton e The Bangles. Suas músicas receberam covers de Tom Jones, Chaka Khan e Sinéad O´Connor, com Nothing Compares To You de 1990.

Gravou ainda com Madonna, Cindy Lauper, Kate Bush, Rosie Gaines e Sheryl Crow. Como compositor, uma curiosidade é a canção “Manic Monday”, da extinta banda californiana feminina Bangles (liderada por Suzanna Hoffs), que Prince compôs sob o pseudônimo de Christopher.

Prince na década de 80 teve a banda The Revolution acompanhando-o e na década de 90 formou The New Power Generation. Em 1982 lança 1999, um álbum duplo que vendeu mais de 3 milhões de cópias. Os hits deste álbum, como Little Red Corvette e 1999 o consagraram como um dos principais artistas negros da época, ao lado de Michael Jackson e Lionel Richie na ainda iniciante MTV. Delirious, outro hit, alcançou o top 10 da Bilboard Hot 100.

Mas é em 1984 que Prince dá a cartada final para se tornar um superstar. Purple Rain é lançado junto com o filme de mesmo nome. O disco vendeu mais de 13 milhôes de cópias e ficou 24 semanas consecutivas na parada do Bilboard 200. O filme, definido pelo crítico Joe Queena como “sexista, juvenil e mentecapto”, arrecadou somente nos EUA, 80 milhões de dólares nas bilheterias. Purple Rain provou que Prince era um sucesso, um superstar. Duas faixas de Purple Rain, “When Doves Cry” e “Let´s Go Crazy” chegaram ambas no topo dos singles dos EUA e viraram hits internacionais, enquanto a faixa título chegaria ao número 2 do Bilboard Hot 100. Simultaneamente, Prince aparecia como estrela do filme, single e álbum número 1 dos EUA. Prince ganha ainda o prêmio de melhor canção original da Academia por Purple Rain além de melhor trilha sonora de filme, e o álbum foi escolhido pela Rolling Stone como um dos 500 melhores álbuns de todos os tempos.

Mas nem tudo era sucesso, e em 1986 Prince lança seu segundo filme Under The Cherry Moon, que foi um retumbante fracasso, que lhe fez ganhar o “Framboesa de Ouro”, prêmio dado ao pior ator daquele ano. Antes, em 1985, Prince lança Around The World In A Day, que chegou ao número 3 das paradas americanas. A faixa “Raspberry Beret” chega ao número 2 do Bilboard Hot 100.

Em 1986, Prince grava Parade, que foi trilha sonora do filme Under The Cherry Moon, sendo a faixa “Kiss” número 1 da parada norte-americana. Sign O´The Times, lançado em 1987 como álbum duplo recebe várias críticas positivas e entra para a lista dos 100 melhores álbuns de todos os tempos da Rolling Stone e da revista Time, sendo eleito ainda o melhor doa anos 80. Em 1987 Michael Jackson convida Prince para um dueto em seu álbum Bad, mas diferenças artísticas puseram fim ao projeto.

Também em 1987 Prince lança The Black Album, feito para o público negro que supostamente ele perdera por ter feito muitos álbuns “brancos”. Misteriosamente este álbum foi cancelado e seria lançado oficialmente somente em 1994. Seu álbum seguinte, Lovesexy desaponta nas paradas, chegando apenas em décimo primeiro. Em 1989 Prince volta ao número 1 com o hit “Batdance” da trilha sonora do filme Batman. Seu álbum seguinte Graffiti Bridge fica em sexto nos EUA e em primeiro na Inglaterra. Diamonds And Pearls, álbum lançado em 1991, marca a estréia de sua nova banda, New Power Generation. Seu álbum seguinte, décimo segundo de sua carreira, chama-se The Love Symbol Album, que chega ao décimo lugar da parada americana.

Em 1993, ele muda seu nome para um símbolo impronunciável, que junta os símbolos masculino e feminino. Como é um símbolo impronunciável, Prince se autodenominou ” o artista formalmente conhecido como Prince ou simplesmente “o Artista“. Prince tomou esta atitude por causa da briga judicial com sua gravadora Warner Bros. a respeito dos direitos sobre suas músicas. Em 1993, por requisição da Warner Bros., Prince lança uma caixa com 3 cds chamada The Hits/The B-Sides. Lançado em 1994, Come é um fracasso comercial.

Em 1995 lança “The Gold Experience” que emplaca um único hit “The Most Beautiful Girl In The World”. Seu álbum seguinte Chaos And Disorder é o último pelo selo Warner Bros. Livre das obrigações contratuais, lança ainda em 1996 o álbum Emancipation.No Valentine´s day de 1996 Prince se casa com Mayte Garcia, uma dançarina de sua banda. Em 1997 nasce seu filho, mas infelizmente morre após o nascimento, vítima de uma rara doença. Este evento trágico desencadeou problemas conjugais que levaram ao anulamento de seu casamento em 1998.

Infelizmente os vídeos do Prince foram retirados do ar.